Design e Comunicação Multissensorial: Lygia Clark – A Casa é o Corpo: Labirinto


Lygia Clark – A Casa é o Corpo: Labirinto

Em seu trabalho, Lygia sempre busca a interação do espectador por objetos sensorias, como sacos plásticos, pedras, conchas, luvas, despertando assim as sensações e fantasias.

Uma exposição que me chamou atenção foi a “A Casa é o Corpo: Labirinto” de 1968. Foi instalada no MAM – RJ e posteriormente na Bienal de Veneza. A obra tem 8 metros de comprimento e simula um imenso útero a ser penetrado pelo visitante, que reproduz as sensações de um parto, pois é levado a experimentar sensações táteis ao passar por compartimentos denominados “penetração”, “ovulação”, “germinação” e “expulsão” do ser vivo. O homem, se torna um organizmo vivo, inverte os conceitos casa e corpo. Agora o corpo é a casa.
Design e Comunicação Multissensorial: Lygia Clark – A Casa é o Corpo: Labirinto